O candidato presidencial Cândido Ferreira desejou esta terça-feira as "maiores felicidades" ao primeiro-ministro indigitado, António Costa, e considerou que a sua nomeação era inevitável dentro no novo quadro parlamentar.

"Tendo desde sempre considerado a indigitação do cidadão António Costa como inevitável, em face do novo quadro parlamentar", começa por dizer, num comunicado citado pela Lusa.

"A candidatura presidencial de Cândido Ferreira deseja ao novo primeiro-ministro as maiores felicidades e espera que possa esbater a crispação que recentemente se desenvolveu na sociedade portuguesa", prossegue. 

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, indicou hoje o secretário-geral do PS, António Costa, para o cargo de primeiro-ministro, depois de na segunda-feira lhe ter pedido esclarecimentos por escrito sobre questões como moções de confiança, os compromissos europeus e a estabilidade do sistema financeiro.

Esta decisão foi comunicada através de uma nota, na qual se lê que a manutenção em funções do Governo PSD/CDS-PP "não corresponderia ao interesse nacional" e que "o Presidente da República tomou devida nota da resposta do secretário-geral do PS às dúvidas suscitadas pelos documentos" que os socialistas assinaram com BE, PCP e PEV para a formação de um executivo com o apoio parlamentar destes partidos.