Indigitar António Costa como primeiro-ministro era a "decisão certa", defende Sampaio da Nóvoa, reagindo à decisão tomada esta terça-feira pelo Presidente da República, Cavaco Silva.

"É uma decisão que vejo com muita normalidade. Era a decisão certa, era a decisão inevitável, ainda bem que ela foi tomada. E agora vamos fechar este capítulo da nossa vida política e vamos esperar e confiar que haja um bom Governo, com um bom programa de Governo, com um bom orçamento", disse o candidato às presidencias de 2016, no final de um almoço com economistas em Lisboa, em declarações aos jornalistas. 

Nóvoa espera que seja possível, agora, "retomar o curso normal das coisas e enfrentar os problemas graves que Portugal tem pela frente depois desta fase de indefinição que vivemos".

O candidato a Belém disse ainda que acredita "profundamente nos partidos, nos acordos que se fazem em sede parlamentar e na boa-fé dos partidos". Por isso, mostrou-se convicto de que há "todas as condições para ter um bom Governo, um bom programa e um bom orçamento".