O dirigente socialista Álvaro Beleza disse esta sexta-feira que o Governo não tem tido vontade de resolver os problemas do Serviço Nacional de Saúde no Algarve, zona onde decorre uma greve que abrange todos os profissionais de saúde.

«É mais um mau dia para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) português. Numa região estratégica como o Algarve é absolutamente inaceitável que haja sempre problemas nos hospitais públicos e nos centros de saúde do Algarve. E problemas porquê? Por que os profissionais estão esgotados, trabalham 24 sobre 24 horas», afirmou Álvaro Beleza aos jornalistas, à porta do Hospital de Faro, uma das unidades de saúde mais afetadas pela paralisação.

O membro do Secretariado Nacional do PS com o pelouro da saúde considerou que o problema que se vive na região, com «falta de profissionais» e a não contratação de mais enfermeiros, médicos ou auxiliares, é «gravíssimo» e é da «responsabilidade do Governo, que já sabe há muito tempo que existe esta situação e não é levada em devida conta».

«Muita escassez de cuidados de saúde seria resolvida com mais contratação de enfermeiros em vez de os incentivarmos a ir para Inglaterra e para outros países», afirmou ainda o dirigente socialista, frisando que a falta de médicos seria colmatada «com coragem» de abrir concursos para especialidades apenas na periferia.

«Pusesse o Governo jovens médicos, não em Lisboa, Porto e Coimbra, mas onde são precisos, no Algarve e no interior do país», disse, frisando que «só pode haver vagas de especialidade nesses hospitais».

«Não havendo vagas noutros hospitais eles [médicos especialistas] terão que vir para cá», afirmou.

As Parceria Público Privadas também foram mencionadas por Álvaro Beleza, que disse terem sido «maus negócios» para o Estado, que permite agora a «um grupo mexicano fazer uma oferta pelo hospital de Loures».

«Seria uma boa maneira de comemorar os 35 anos do SNS se o Governo ficasse de novo com o Hospital Público [Loures] do Grupo Espírito Santo e o Grupo Espírito Santo seguisse a sua vida», afirmou.

Álvaro Beleza disse ainda estar convencido de que «se houvesse um grupo chinês que fizesse uma Oferta Pública de Aquisição do SNS, com jeitinho o governo vendia o SNS todo».

«A vontade é vender o SNS a grupos privados e serem os privados a gerir a Saúde, a Educação e a Segurança Social públicas», criticou, dizendo que o PS traçou uma «linha vermelha» que não vai deixar passar relativamente a esta matéria.