Um navio hidrográfico russo foi detetado na terça-feira na Zona Económica Exclusiva (ZEE) portuguesa, em águas internacionais, anunciou hoje o ministro da Defesa português, José Pedro Aguiar-Branco.

O navio foi detetado, identificado e escoltado para fora da ZEE portuguesa durante a noite de terça para quarta-feira, tendo ficado fora dessa zona hoje de manhã, acrescentou o ministro.

«A missão foi cumprida durante a noite e até à manhã de hoje», precisou.

Segundo Aguiar-Branco, o navio foi identificado e escoltado por uma corveta da Marinha Portuguesa que zarpou de Faro e efetuou um trajeto para norte.

O ministro falou aos jornalistas no final de uma visita à Base Aérea de Siauliai, no norte da Lituânia, a cerca de 200 quilómetros da capital, Vilnius, onde visitou as Forças Nacionais Destacadas que se encontram numa missão de policiamento e vigilância aérea da NATO.

«Também existe capacidade ao nível da Marinha numa situação desta natureza para fazer, com o nível de prontidão exigível, a identificação e o acompanhamento, tal como aconteceu em espaço aéreo internacional», sublinhou.

Na semana passada, por duas vezes, caças F-16 da Força Aérea Portuguesa (FAP) intercetaram e identificaram aviões militares russos em espaço aéreo internacional sob jurisdição portuguesa.

Nessa altura, o ministro da Defesa sublinhou que essas operações demonstraram que «o sistema funcionou» e garantiu que «há de funcionar sempre que for necessário».