«Armando Sevinate Pinto era um ser humano excecional e um criador de políticas agrícolas notável e persistente. No Governo e nas instituições, na universidade e nas empresas, deu o melhor de si mesmo e deixou um legado de conhecimento, saber pensar e saber fazer agricultura em Portugal verdadeiramente único e que deve ser continuado», disse Paulo Portas numa mensagem escrita enviada à Lusa.


«Muito do que sei e defendo em matéria de agricultura devo ao conselho amigo e inteligente de Armando Sevinate Pinto», que colaborou na criação do programa eleitoral do CDS em 2011, acrescentou Paulo Portas.

«O engenheiro Armando Sevinate Pinto era, para além de excecional conhecedor das questões da agricultura e um grande especialista da agricultura portuguesa, uma pessoa com notáveis qualidades humanas», recorda Durão Barroso, numa nota enviada à Lusa.

«Todos aqueles que tiveram o privilégio de o conhecer, como foi o meu caso, quando o engenheiro Sevinate Pinto aceitou desempenhar o cargo de ministro da Agricultura no Governo que tive a honra de chefiar, sentirão a sua falta», refere ainda o antigo primeiro-ministro português, que manifesta os seus pêsames à família e amigos mais próximos.