"A mudança iniciada em outubro não pode ser interrompida. Acreditamos que com Sampaio da Nóvoa o país ganhará muito no que queremos que seja um impulso para a mudança".


“É preciso que cada um de nós perceba que estamos no tempo de escolhas decisivas”.

Apupos a Marcelo marcam almoço


"Sampaio da Nóvoa estará nas melhores condições para fazer o diagnóstico das reformas necessárias para ajudar a definir a orientação que se deve adotar e animar o ‘élan' reformador das instituições e dos agentes políticos".




“Não podemos votar num candidato que agora não tem ideias nem assume compromissos escusando-se atrás numa estratégia apenas de afetos”"é a única que pode promover estabilidade, cooperação e solidariedade"

“Nunca ouvimos a este candidato a preocupação de haver dois países: o país dos mesmos rostos de sempre, que se perpetua na política e no poder mediático, e um outro país, com todos aqueles que independentemente do que deram e dão à causa pública se deveria limitar, ouvi-o dizer, à condição de soldados rasos! Soldados rasos? Mas soldados rasos somos nós todos!"

Cavaco volta a ser alvo



“Que os últimos anos nos sirvam de lição”.


"Pois lembrou, e ainda bem que lembrou".


"Colaborei com ele em Belém nos anos da sua presidência. Em 2004, quando Durão Barroso defendia o financiamento por igual das escolas públicas e privadas, Jorge Sampaio vetou a lei. Em 2010, quando Passos Coelho defendeu o mesmo o candidato que agora se diz da esquerda da direita alinhou com esta proposta ideologicamente radical de ataque à escola pública, de ataque à saúde, de ataque ao estado social. Sei bem do que falo porque acompanhei este dossier com o presidente Jorge Sampaio, porque estive vários anos a trabalhar em Belém".


"a trabalhar em Belém, não a comer vichyssoise ou sopas frias”.