"A AR tem o dever de exigir respeito pela sua soberania"


"A Assembleia da República exige um respeito escrupuloso pelos restantes órgãos de soberania, Presidente da república, governo e tribunais, esse é um dever constitucional indeclinável. Respeitamos a soberania e a autonomia dos tribunais, do Governo e do Presidente da República. Nesse sentido, temos o direito e o dever de exigir respeito pela soberania da Assembleia da República."


"À Assembleia da República exige-se hoje em particular que saiba cumprir bem os seus deveres constitucionais, mas que saiba também ir além dos seus métodos tradicionais. Exige-se ao parlamento que saiba estar à altura do momento que vivemos e dos sinais que os portugueses nos estão a dar."


"Os níveis de insatisfação com a democracia são preocupantes. Essa insatisfação deve-se à insatisfação com a própria situação económica e social do pais. O processo de ajustamento económico que vivemos deixou feridas sociais que importa sarar com urgência, estou a pensar na pobreza, no desemprego, nas desigualdades e na emigração indesejada."



Esquerda vinca novo quadro parlamentar, direita aponta quebra na tradição


considerou

"É muito importante que esta primeira votação tenha sido feita por voto secreto. É uma votação que assegura a mais pura liberdade no exercício de cada um de nós do mandato responsável que cada um de nós recebeu dos portugueses.”


quebra da tradição parlamentardeixou críticas

"Fiquei com a sensação que as garantias de isenção e de imparcialidade que devem estar na base do exercício da função de presidente da Assembleia da República estão ainda longe de ser garantidas.”


saudou a eleição do socialista

"Em democracia mandam os votos, e não as tradições. Não há nenhuma destas estátuas que seja dedicada às tradições parlamentares." 


"nova correlação de forças"