Atualizada às 12:52







interveio no programa Política Mesmo



«Eu não me deixo intimidar»

«Eu sempre disse que não me deixaria silenciar, e o Parlamento, naturalmente, também entendeu que eu tinha dito o que disse, e que mantenho, na minha qualidade de deputada, e não como cidadã individualmente e sem responsabilidades», afirmou Ana Gomes à saída do hemiciclo.


«Eu, pelo meu lado, não me deixo intimidar. Obviamente, o objetivo do processo que o ministro moveu contra mim era intimidar-me, é essa a minha interpretação, porque não se trata de impedir a discussão do fundo de questão», já que a questão, argumenta, foi a própria a levar à justiça.




«é um erro não permitir que Ana Gomes seja constituída arguida»

«Não ajuda a credibilizar a imagem dos políticos, em geral, e do Parlamento Europeu em particular. É um erro não permitir que a doutora Ana Gomes seja constituída arguida», refere o governante numa nota enviada à Lusa.






em novembro de 2013, à TVI24