No entanto, o NECEP alerta que este crescimento pode «estar a ser suportado por uma política orçamental muito passiva, com consequências negativas no défice que obriguem a ajustamentos orçamentais novamente agressivos durante a maior parte do próximo ciclo político».

O NECEP refere que Portugal «está agora numa fase clara de recuperação e já estará a beneficiar da descida acentuada do preço do petróleo, da desvalorização do euro e da passividade orçamental de 2015».

Para os economistas, o desempenho da economia em 2015 «deverá ser influenciado positivamente pelo ambiente externo e interno, que se conjugam agora de forma muito favorável ao crescimento do produto».