O secretário-geral do PCP apelou, este domingo, ao voto no partido nas eleições Europeias como forma de mostrar descontentamento em relação às «políticas de direita» do Governo, lembrando que estas eleições serão a primeira grande batalha de 2009, escreve a Lusa.

Jerónimo de Sousa, que discursava perante mais de mil militantes comunistas do Seixal, lembrou que as eleições europeias são «a primeira grande batalha eleitoral» e que, por isso, «assumem uma importância e uma centralidade que vão muito para além da temática europeia».

«Um bom resultado no Parlamento Europeu trará bons resultados para o Parlamento e nas autárquicas», sublinhou.

No entender do líder comunista, não se poder ter ilusões e pensar que estas eleições são apenas importantes para a direcção do partido, aproveitando para apelar a todos os militantes para não deixarem de votar nas eleições para o Parlamento Europeu.

«Será a primeira grande oportunidade para derrotar pelo voto as forças politicas que têm principais responsabilidades na crise em que vivemos, serão o primeiro momento para imprimir a dinâmica eleitoral à afirmação da ruptura com a direita que só o PCP e a CDU podem garantir», defendeu Jerónimo de Sousa.

«Sócrates fez-se de vítima»

Acrescentou que os actos eleitorais de 2009 (europeias, autárquicas e legislativas) vão ser «uma das mais importantes batalhas políticas» já que «vão influenciar a evolução da situação política».

Durante o seu discurso, Jerónimo de Sousa aproveitou ainda para se referir ao congresso do PS, acusando o secretário-geral do PS de «ter assumido um papel de vítima» e aproveitando para deixar um recado a José Sócrates: «Nós, na campanha eleitoral, havemos de lembrar quem foram as verdadeiras vítimas de uma política de direita: os desempregados, os despedidos, os arruinados, aqueles que têm salários baixos, reformas baixas.»