O Conselho Nacional do CDS-PP aprovou segunda-feira à noite a desconvocação do congresso, realizando-se uma nova reunião magna em outubro, depois das autárquicas, tendo ainda ficado decidida a realização de uma convenção autárquica em setembro.

O Conselho Nacional, que reuniu segunda-feira à noite, numa unidade hotelaria do Porto, aceitou assim a proposta lançada pela comissão executiva do CDS-PP, que defendeu a desconvocação do XXV congresso e realização da reunião magna do partido após as eleições autárquicas de 29 de setembro.

Ficou ainda decidida a realização de uma convenção autárquica, em setembro, de acordo as declarações feitas aos jornalistas pelo dirigente e deputado do CDS-PP Telmo Correia, no final do Conselho Nacional.

«O Conselho Nacional tomou por deliberação por larguíssima maioria - só com três abstenções - a decisão de desconvocar o congresso do CDS e fazê-lo por duas razões fundamentais: em primeiro lugar está a decorrer um processo político no qual o CDS pretende ser fator de estabilidade e portanto pretende realizar esse congresso com a situação política estabilizada e ser ele próprio partido, também, nesse mesmo processo um fator de estabilidade», explicou.

Com o congresso marcado para outubro fica agora a faltar a data concreta para a realização do mesmo, sendo esta decidida em conselho nacional, em setembro, onde se abre um «novo processo» para uma nova reunião magna.

Telmo Correia anunciou ainda que os órgãos do partido «estarão em funções até à realização do congresso que agora será marcado para outubro».

«Se realizará a convenção autárquica que reunirá o partido, reunirá os nossos candidatos, também em setembro, no início da campanha, para o partido se reencontrar e ganhar assim ânimo, vontade e capacidade para a preparação dessas mesmas eleições autárquicas», explicou citado pela agência Lusa.