As PPP são «uma tentação política numa democracia», afirmou o comentador da TVI24, acrescentando: «Até 2009, 2010, isto foi uma brincadeira fazer PPP, depois os outros que viessem e arranjassem dinheiro.»

Henrique Medina Carreira disse também que se «diminuem os salários e as pensões», mas que «ainda nenhum ministro» veio dizer que o Estado já «baixou» os encargos relacionados com as PPP. «O Estado atira para o futuro os encargos que contraiu antes», referiu.

Contudo, «isto [as PPP] tem virtudes», sendo que «o que aqui esteve em causa não foi a forma, foi o excesso», salientou ainda Medina Carreira.

O convidado desta noite foi o deputado do PSD Sérgio de Azevedo - relator da Comissão Parlamentar de Inquérito às PPP e autor do livro, apresentado no final de Janeiro, intitulado «PPP e o Custo de um Estado Fraco» -, que considerou que a «desresponsabilização política esteve muito patente nas PPP».

«Desresponsabilização política esteve muito patente nas PPP»