Marcelo Rebelo de Sousa fala em «teimosia» da parte de Pedro Passos Coelho em insistir na redução da Taxa Social Única (TSU).
 

«Mais do que corajoso e determinado, é teimoso. Não passou a TSU da primeira vez, mas fazia parte do programa», disse Marcelo Rebelo de Sousa, no comentário deste domingo, no Jornal das 8 da TVI.

 

«Queria ressuscitar a TSU. Há uma pequena habilidade, inteligente essa, que é a seguinte: uma vez a cada quatro anos a União Europeia permite a quem tiver respeitado o défice de 3% uma maleabilidade, uma flexibilidade de 0,5% e, por aí, podia entrar a baixa da TSU, mas isso aplicava-se uma vez. Como é que depois se sustentava aqueles milhões que deixavam de receber da TSU?», acrescentou ainda o comentador.

 
Marcelo diz que Passos é «teimoso»


Além da redução da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa comentou também a anunciada greve da TAP. O comentador da TVI considera que os pilotos são os grandes prejudicados caso a paralisação de 10 dias avance.
 

«Tirando os pilotos, toda a gente está contra a greve. Da extrema-Direita à extrema-Esquerda. Precisamente por entender que há um interesse nacional que é lesado, o que resta do interesse empresarial que é lesado e o interesse dos próprios que é lesado».

 
Marcelo Rebelo de Sousa defende que os avultados prejuízos gerados pela greve podem levar à restruturação da empresa.

«Tirando os pilotos, toda a gente está contra a greve» da TAP 

O professor falou da grande reportagem da TVI sobre o estado das urgências hospitalares e também a reação do secretário de Estado da Saúde, Leal da Costa.
 

«Há estrangulamento. Todos nós já vimos aquela situação. Em relação ao secretário de Estado, eu diria apenas isto (que aliás já lhe disse): realmente o melhor era não ter comentado. Há momentos em que o melhor é não comentar, porque quando a pessoa comenta há um risco muito grande de não sair bem e o que se disser pode ser contraproducente».


«Acho que foi isso que aconteceu», concluiu.

 
Marcelo Rebelo de Sousa critica secretário de Estado da Saúde

Este domingo, Marcelo Rebelo de Sousa falou também da semana negra em termos de violência e maus tratos sobre crianças. O comentador diz que é preciso rever o funcionamento das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens: «há qualquer coisa em termos de funcionamento das comissões em termos de meios e de circulação de informação que deve ser reponderado».
 
E o comentador encontra uma justificação para o aumento destes casos: «Isto acontece por causa da crise. Onde há crise, há desemprego. Se há desemprego, há frustração. E onde há frustração, há violência. Sobre os mais próximos e, às vezes, sobre os mais inocentes. Isto não é uma justificação, nem é uma argumentação, mas o agravamento dos últimos anos é o retrato do agravamento da situação em muitas famílias portuguesas».