O comentador da TVI, Paulo Ferreira, elogiou, esta sexta-feira, a forma como Marcelo Rebelo de Sousa apresentou a sua candidatura à Presidência da República, em particular o seu discurso, que revelou uma “afetividade”, “humildade” e outras características “positivas” do candidato.

Na rubrica “Sobe e Desce” da 21ª Hora, na TVI24, Paulo Ferreira colocou Marcelo Rebelo de Sousa “a subir” pela candidatura a Belém, destacando que o ex-presidente do PSD e ex-comentador da TVI é a única ‘pop star’ da política portuguesa.
 
A “subir” está também António Costa, o líder do PS, que hoje se reuniu com Pedro Passos Coelho para tentar alcançar um acordo sobre o novo Governo, depois de já esta semana se ter reunido com o líder do PCP.
 
A subir: Marcelo Rebelo de Sousa

"O discurso que ele fez é um grande discurso, diferente daqueles que estamos habituados a ouvir noutros momentos. (…) É um discurso muito afetivo, de proximidade, de uma certa humildade, há ali muita transparência na forma como Marcelo explica o seu percurso, aquilo que faz, por que é que o faz (…) e aquela humildade de ele querer devolver ao país aquilo que lhe foi proporcionado. De facto é uma figura cimeira, não só da política, como do meio académico, na intervenção dos media: há aqui uma série de características positivas. Marcelo obviamente é uma das figuras mais populares do país (…), é uma ‘pop star’ da política."
 

 
A subir: António Costa

 "A liderança política deste momento está a ser feita por António Costa. É ele que pode ser o fiel da balança, é ele que pode viabilizar, ou não, um Governo mais estável formado pela maioria, liderado por Pedro Passos Coelho. [Mas] acho que há o potencial a longo prazo de isto correr mal ao PS. A ambiguidade que António Costa e o PS vão arrastando no tempo , sendo um partido de centro-esquerda, mas que tanto negoceia com a direita e [com a esquerda]. (…) Há aqui um jogo duplo que depois pode custar uma parte do partido [seja da ala e eleitores mais à esquerda, ou ao centro]."