O deputado do PSD Carlos Abreu Amorim admite que o problema com a colocação dos professores «está a demorar a ser completamente resolvido», mas destaca que apenas «0,8%» das escolas têm aulas em falta.

«Houve de facto problemas, mais de um mês depois do início do ano letivo, que demoraram a ser identificados e ser corrigidos. Mas há um problema extremamente reduzido no universo da Educação em Portugal. Temos problemas com pouquíssimas centenas de professores quando estão 110 mil professores no sistema», disse o social-democrata.

Já o socialista Marcos Perestrello desmentiu esta versão. «O problema é com muitos milhares de alunos e pelo menos umas largas centenas de professores. Só em Sintra ainda há dois dias faltavam 200 professores, na Amadora mais 200 professores. Há um agrupamento da Amadora onde os alunos só têm aulas de Música e de EVT», assegurou, destacando os «esforços destrutivos do ministro Nuno Crato» contra a escola pública.