Henrique Medina Carreira considera que o país ainda não atingiu um crescimento económico que justifique uma redução na carga fiscal das famílias portuguesas, e que ao subir o salário mínimo e baixar impostos, o Governo estará a pensar apenas nas eleições legislativas.

O comentador da TVI24 critica a «pressão» do CDS para que o Governo concorde em baixar «10 ou 20 euros» nos impostos dos portugueses, quando «não há condições para isso».

«Acho que é muito mau que um partido da coligação [o CDS], por razões meramente eleitoralistas esteja a fazer esta pressão descarada. (…) Nós precisamos de pôr as contas certas rapidamente. Todos gostamos de pagar menos impostos, mas não há circunstâncias para isso».

No programa «Olhos nos Olhos» da TVI24, Medica Carreira, acredita que o país está no bom caminho, especialmente no que toca às exportações, mas afirma que só quando a despesa do Estado cair se vai conseguir alterar a carga fiscal.

«Não se pode tirar alguma coisa que se veja [aos impostos] porque a despesa não caiu. Temos que baixar a despesa em mais sete, oito milhões, que foi quanto já caiu. Faltam outros sete a oito milhões», afirmou Medina Carreira.