Augusto Santos Silva defendeu esta terça-feira na TVI24 que Nuno Crato é o responsável pela negação de direitos aos cidadãos. O comentador da TVI e ex-ministro considera mesmo que «há coisas mínimas que foram implodidas pelo ministro da Educação» e que neste momento estamos num «barafunda total».

«Estes erros, isto que nos parece uma barafunda total, este desprezo absoluto por milhares de alunos e de famílias e professores, resulta de uma estrutura de pensamento e de uma atitude face à escola pública que é o estilo à escola pública e ao ministério da Educação. Acontece que esta atitude ao estilo está hoje personificada naquele que devia ser o primeiro defensor da escola pública e o primeiro defensor do ministério da Educação», defendeu.

Augusto Santos Silva acusou o ministro de negar aos contribuintes o direito a um sistema de educação. «Há direitos que estão a ser negados às pessoas, pessoas essas que pagam como contribuintes para que haja um sistema de educação que funcione minimamente. Há mínimos a que o país se tinha habituado, mínimos de funcionamento (…) Há coisas mínimas do funcionamento do sistema que foram implodidas pelo atual ministro da Educação, que continuam a olhar para nós como se isto não fosse dele. É que ainda por cima se refugia atrás de um diretor-geral. Isto contribui mais para o descrédito das instituições políticas do que todos os vícios do sistema partidário», disse.

O ex-ministro de José Sócrates defendeu ainda que o novo líder do Partido Socialista tem três questões decisivas para lidar nas próximas semanas, nomeadamente, fazer oposição ao Governo, potenciar o alargamento do espaço do PS à esquerda e à direita e resistir a qualquer sinal de facilidade, tendo em conta a pressão dos interesses que se consideram esquecidos.