Augusto Santos Silva considera que o Orçamento do Estado para 2015, que vai ser apresentado na sua totalidade esta quarta-feira, é um misto de «truque» e «fantasia», porque está dependente de objetivos do Governo que podem, ou não, ser alcançados no próximo ano.

O comentador da TVI24 referia-se ao anúncio do Governo sobre uma possível devolução aos contribuintes da sobretaxa do IRS em 2016, que estará dependente do combate à evasão fiscal.

No programa «Política Mesmo», na TVI24, Santos Silva diz assim ninguém sabe «os impostos que vai pagar no próximo ano».

«Para haver um compromisso político há uma engenharia, que não se conhece em lado nenhum, que só vem perturbar aquilo que é importante em qualquer sistema fiscal, que é a sua previsibilidade. Eu não sei que impostos vou pagar para o ano, porque depende da possível arrecadação de receitas fiscais por parte do Estado acima de um limiar que há de ser definido pelo Governo. (…) Basta dizer isto para se perceber a fantasia que é».

O comentador da TVI24 vai mais longe e afirma que quem vai acatar os problemas deste Orçamento é o próximo Governo.

«[O] mais grave [é que] se esta espécie de crédito, que vai ser lançado em 2015 a favor dos contribuintes, existir, quem o vai pagar é o Governo seguinte».