Marcelo Rebelo de Sousa defendeu este domingo, no Jornal das 8 da TVI, as saídas do Ministro da Educação, Nuno Crato, e da Ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, depois dos problemas que têm afetado os dois setores nas últimas semanas. 

«[Passos Coelho] Devia fazer uma remodelação, mas eu dizê-lo é meio caminho andado para não o fazer, porque é teimoso», declarou.

O comentador destacou que, neste momento, ainda ninguém foi responsabilizado pelos problemas, à exceção do Diretor Geral da Administração Escolar, e que isso não é suficiente.

«Não haver responsáveis por nada é pouca coisa», justificou.

Marcelo considera que os problemas na Justiça e na Educação são «inaceitáveis», uma vez que os portugueses estão a pagar muitos impostos.

«Nunca se pagou tantos impostos como agora, pelo que não há direito de os serviços como a Justiça e Educação funcionarem desta maneira», afirmou.

Sobre os problemas na colocação de professores, que o Governo garantiu que só afetavam 2% dos docentes, Marcelo é peremptório: «A obrigação de quem cobra os impostos que cobra é assegurar que não há um único caso sequer».

Para o comentador, ao Ministro da Educação exige-se mais do que um pedido de desculpas.  «Nuno Crato não pode achar que se resolve com um pedido de desculpas aquilo que se abate na vida das pessoas», referiu.

No caso da Justiça, Marcelo fez notar que os problemas que decorreram da reforma do mapa judiciário e particularmente com a plataforma informática Citius, há já dois meses, poderão levar ao arrastamento de processos durante meses.