Marcelo Rebelo de Sousapor razões políticas

“há países a fazer tudo”

“Há países que estão na disposição de fazer tudo, para que não haja acordo com a Grécia. Vamos admitir que não é o caso da Alemanha, embora o ministro das Finanças provavelmente esteja nessa linha. (…) O problema é político, há países que estão condicionados pelas suas opiniões públicas, ou porque têm eleições nos próximos dois anos, ou porque a opinião pública não quer acordo com os gregos – não querem pagar aos gregos”.




começou o fim de uma certa ideia da Europa“mas para quê? Deixem cair o emplastro. Não tem consequências nenhumas, é menos um, em vez de 19 ficam 18”

Marcelo Rebelo de Sousa

“A Europa nunca foi um projeto económico, foi um projeto político. Se fosse um projeto económico não tinha nascido. A Europa nasceu para fazer a paz onde havia guerra. A Europa nasceu para pôr a Alemanha e a França no mesmo barco. A Alemanha juntou países que não estavam em situação económica, em teoria, para poderem entrar, em sucessivos alargamentos que foram feitos por razões políticas. Portugal entrou por razões políticas, a Espanha também, [e] a Grécia então foi por enormes razões políticas".

Detenção de Armando Vara


pronunciou-se, também, sobre outro dos assuntosdetenção do ex-ministro Armando Vara

entrevista da TVI a António Costanão tem “uma agenda política”

“Eu acredito na Justiça. Como professor de direito, parto do princípio que os magistrados não têm uma agenda política. Não estou a ver o juiz Carlos Alexandre a querer fazer campanha contra António Costa, ou contra o PS, envolvendo em cada momento crucial, em cada passo da pré-campanha de António Costa, uma decisão no processo “Operação Marquês”. (…) [O processo vai envolver-se na campanha eleitoral] é inevitável, e cada vez que [isso acontece] é um pontapé na nuca de António Costa. [Com Armando Vara] foi menos, porque é difícil encontrar (…) uma ligação direta com António Costa”.

Veja outros excertos do comentário de Marcelo Rebelo de Sousa: 

"É uma estupidez" dizer que Passos Coelho está a usar a doença da mulher para a campanha

"Ninguém mudou voto por causa da entrevista" a António Costa na TVI