Constança Cunha e Sá considera que o guião da reforma do Estado, apresentado esta quarta-feira por Paulo Portas, é «uma mão cheia de nada».

«Tem uma série de boas intenções anunciadas para o futuro, mas é uma confirmação do que não foi feito em dois anos e tal. Ficou tudo para fazer», afirmou.

Para a comentadora, estas propostas não avançarão durante esta legislatura.

«Suponho que esta ementa, este menu florido de coisas mais ou menos vagas e inatingíveis, seja para oferecer ao PS, se ganhar as eleições em 2015, porque não vejo forma deste Governo vir a aplicar estas medidas», concluiu.