Constança Cunha e Sá desvalorizou as declarações da diretora do FMI, que assumiu os erros deste organismo internacional no caso português, considerando que já são «um clássico».

«De 15 em 15 dias, a senhora Lagarde ou alguém em seu nome aparece a dizer que o FMI se enganou e as consequências não existem», afirmou, na TVI24.