A Guarda Nacional Republicana iniciou a «Operação Peregrinação Segura» intensificando até ao dia 13 de maio “as ações de patrulhamento nas principais vias de acesso à cidade de Fátima”.

No âmbito das celebrações das Aparições de Fátima, a operação da GNR pretende “apoiar e garantir a segurança dos peregrinos durante as suas deslocações reforçando ainda o policiamento no Santuário e zonas envolventes”.

Nos trajetos que farão até Fátima para celebrarem o 13 de Maio, a GNR aconselha os peregrinos a:

-Andar em fila indiana;

-Sinalizar o início e fim dos grupos;

-Não andar na estrada, mas sim pela berma;

-Caminhar sempre na berma contrária ao sentido do trânsito;

-Não andar em locais onde seja proibida a circulação de peões;

-Usar sempre, quer de dia quer de noite, coletes refletores;

-Se for preciso reunir o grupo, fazê-lo sempre fora da estrada;

-Não usar auscultadores de rádio;

-Não utilizar o telemóvel durante a caminhada;

-Fazer pausas de uma hora na caminhada da manhã e duas no fim do almoço;

-Não andar sozinho(a) durante a noite;

-Tomar especiais cuidados ao atravessar as vias.

No que respeita à segurança quando os peregrinos já tiverem chegado ao seu destino, a GNR deixa também indicações para ter em com na cidade de Fátima e no Santuário:

-Chegue atempadamente a fim de evitar filas prolongadas;

-Não deixe bens à vista no interior dos veículos, guarde-os na bagageira antes de chegar ao local onde vai estacionar;

-Não deixe documentos pessoais nos veículos, tenha-os sempre consigo;

-Não transporte a carteira/telemóvel no bolso de trás ou na mochila, guarde-os num bolso da frente ou numa bolsa com fecho que esteja sempre em contato com o corpo;

-Evite andar com grandes quantias de dinheiro, divida-o e distribua-o por vários locais;

-Não leve bens de valor, nem objetos que sejam ostensivos;

-Tenha sempre o telemóvel com bateria e o contacto dos demais elementos do grupo;

-Logo após o fim das cerimónias, saia de forma calma e gradual a fim de evitar filas prolongadas;

-Nunca perca de vista os idosos e crianças que o acompanham, devendo estes terem sempre um contacto de um adulto do grupo.