O ministro da Economia, António Pires de Lima, assumiu esta quinta-feira que os problemas do BES são uma «adversidade» para a economia, mas insistiu que estão a ser vencidos desafios como o do crescimento económico e redução do desemprego.

Governo: «Situação no GES terá seguramente impacto na economia»

«A economia portuguesa, com maiores ou menores adversidades - e é evidente que este caso é uma adversidade -, está a vencer os desafios mais importantes que tinha estabelecido para 2014: está a crescer, a taxa de desemprego continuou a descer no mês de junho e a expectativa que eu tenho é que este crescimento económico, com maior ou menor adversidade, esta redução do desemprego possam ter continuidade ao longo do segundo semestre de 2014 e ao longo de 2015», salientou, à margem da apresentação de um estudo sobre a Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento.

Pires de Lima afirmou que o Ministério da Economia está a «acompanhar a situação com muita atenção», mas salientou que as entidades regulatórias já disseram o que tinham a dizer sobre esta matéria, insistindo que «ao nível dos depositantes as pessoas têm todas as razões para confiarem no sistema financeiro português e no BES enquanto instituição».

Declarando não querer «ser submergido por uma agenda depressiva ou negativa», preferiu deixar uma «palavra de confiança» para o setor privado e aos empresários que estão «a lutar para puxar Portugal para cima».