O primeiro dia do festival Super Rock contou com cerca de 18 mil pessoas, com The National e Disclosure, no cartaz, e o público ainda a celebrar, em euforia, a conquista do campeonato europeu de futebol.

Instalado no Parque das Nações, o Super Bock Super Rock (SBSR) arrancou em ritmo de passeio descontraído à beira Tejo, com muitos dos espectadores a procurarem uma sombra, para evitar a onda de calor que se abateu na cidade.

Entre o Meo Arena e a emblemática pala do Pavilhão de Portugal, o público foi desfrutando, até ao cair da noite, das prestações de nomes como Temper Trap, Kurt Vile, Lucius, Benjamim e peixe: avião.

À noite, ainda debaixo de temperaturas altas, Jamie XX, um dos elementos dos britânicos The XX, transformou o espaço debaixo da pala desenhada por Siza Vieira numa pista de dança, e Samuel Úria, talvez prejudicado pelo atraso de, pelo menos, 45 minutos com que o seu concerto começou, dava música a algumas dezenas.

À mesma hora, num Meo Arena meio cheio, os The National cumpriram o 13.º terceiro concerto em Portugal, mas a devoção mútua entre banda e público parece manter-se intacta.

Matt Berninger, o vocalista, tratou logo de dizer no começo que tinha saudades dos portugueses e terminou o concerto a vaguear pela plateia, para delírio de muitos espectadores.

Em pouco mais de uma hora revisitaram as canções mais conhecidas – de “Bloodbuzz Ohio” a “Mr November”, de “Fake Empire” a “Terrible Love”.

Sem disco novo desde “Trouble will find me”, de 2013, o grupo norte-americano ainda tocou dois temas inéditos: “The day I die” e, numa estreia, “I’m gonna keep you”.

Aaron Bressner, um dos gémeos guitarristas, não se esqueceu de saudar o público pelo título do europeu de futebol.

Ao longo do dia, foram acontecendo momentos espontâneos de euforia e alegria, com dezenas de pessoas a cantarem “Foi o Éder que os f****”, a propósito do golo de Éder Lopes que deu a vitória a Portugal contra a França, na final do Euro 2016.

Os Disclosure, que atuaram hoje em Lisboa pelo terceiro ano consecutivo, tiveram a sorte de serem os únicos a atuar no recinto, à hora em que subiram ao palco do Meo Arena, do qual fizeram uma pista de dança com casa quase cheia.

As atuações prolongar-se-ão pela madrugada, com DJ Shadow e Riot a cumprirem o fecho do primeiro dia do SBSR que, segundo dados da organização, contou com 18 mil pessoas.