Os músicos Manuela Azevedo, Carlão e João Pedro Pais, entre outros, participam no festival SBSR num espetáculo de homenagem ao guitarrista Zé Pedro, com uma banda formada pelo filhos e sobrinhos dos Xutos&Pontapés, anunciou hoje a organização.

O concerto "Who the f*ck is Zé Pedro" está marcado para 19 de julho, o primeiro dia da edição deste ano do Super Bock Super Rock (SBSR), no Parque das Nações, em Lisboa, segundo a promotora Música no Coração.

Além de Manuela Azevedo, Carlão e João Pedro Pais, participam no espetáculo Manel Cruz, Rui Reininho, Tomás Wallenstein, Paulo Gonzo, os Ladrões do Tempo (Tó Trips, Paulo Franco, Donny Bettencourt e Samuel Palitos) e os Palma's Gang (Jorge Palma, Flak, Alex e Kalú), dois dos grupos nos quais Zé Pedro militou.

Em palco, os músicos estarão acompanhados por uma banda formada por António Reis Colaço (sobrinho de Zé Pedro), Fred Ferreira (filho de Kalú), João Nascimento (filho de Gui), Joel Cabeleira (sobrinho de João Cabeleira), Marco Nunes (sobrinho de Kalú), Sebastião e Vicente Santos (filhos de Tim) e Nuno Espírito Santo.

“O Zé Pedro faz parte da história do festival”, afirmou o promotor Luís Montez hoje na conferência de imprensa de apresentação do espetáculo, que decorreu em Lisboa, lembrando que o guitarrista pisou os palcos do SBSR “pelo menos oito vezes: cinco com os Xutos&Pontapés, uma como DJ, uma com os Palma’s Gang e uma outra num tributo a Lou Reed”.

A ideia do tributo “surgiu em conversas de amigos” e a ideia é fazer “uma festa de que o Zé Pedro se orgulhasse, uma festa linda, linda, com um grupo de amigos”.

A direção artística do espetáculo ficou a cargo de Tim, o vocalista dos Xutos&Pontapés, e de Fred Ferreira.

Segundo Fred Ferreira, baterista de grupos como Orelha Negra e a Banda do Mar, juntar tantos músicos em palco “foi fácil” porque é um espetáculo “para o Zé”, uma pessoa que “deixou uma marca tão grande em todos”.

Do alinhamento do espetáculo farão parte temas dos Xutos&Pontapés, “principalmente os que o Zé escreveu”, dos Ladrões do Tempo, dos Palma’s Gang, “músicas em que o Zé participou, o tema que o João Pedro Pais fez com ele” e muitas outras, adiantou Fred Ferreira, evitando revelar muito para não estragar o efeito surpresa.

“Vai ser um espetáculo bonito, de rock que é o que o Zé quer, de certeza”, disse.

No espetáculo, Tó Trips, que habitualmente se vê agarrado a uma guitarra, foi desafiado a cantar, como partilhou com a Lusa.

“É uma responsabilidade, ainda por cima porque é um tema [‘Submissão’] que o Zé que cantava”, afirmou, recordando que cantou “nos Lulu Blind, mas não era bem cantar, era gritar”.

O músico sente-se “um privilegiado por participar nesta celebração”, uma homenagem que surge “no tempo certo”, já que considera que “deve passar o tempo de luto e depois de celebração”.

“A única coisa que nos resta quando perdemos alguém amigo é celebrar a vida dessa pessoa, dar-lhe um obrigado por tudo o que nos ensinou como músico e como ser humano. Onde esteja ele ficará feliz de certeza”, afirmou.

A acompanhar Tó Trips e os outros cantores convidados estará a banda “de emoção”, como lhe chamou Tim, composta por “filhos de uns e sobrinhos de outros” e por Nuno Espírito Santo que “não é família de sangue, mas é como se fosse”, e que foi formada propositadamente para o espetáculo.

“Toda a gente estava disponível para tocar e sabe tocar estas músicas”, referiu, partilhando que o que irá acontecer a 19 de julho “já é emocional mesmo agora” e desejando “que seja uma grande festa como ele [Zé Pedro] gostaria que fosse”.

Um dos elementos da banda é Vicente Santos, teclista, que toca “desde miúdo” e teve “educação de conservatório”.

O músico, que faz parte dos Conjuntivite com o irmão Sebastião, que já acompanhou o pai em palco e toca habitualmente com Isaura, antevê um espetáculo “emocional”. “O Zé Pedro é como um tio para todos nós, vai ser um dia muito especial”, partilhou com a Lusa.

Por ser filho de Tim não sente “uma responsabilidade extra”, mas sim que tem que “honrar” o pai, “que é um exemplo de profissionalismo no mundo da música”.

O espetáculo “Who the f*ck is Zé Pedro?” terá ainda um lado solidário. No festival estará à venda uma t-shirt alusiva ao concerto, com uma fotografia de Zé Pedro na parte da frente, cuja venda reverterá em parte para a Associação Encontrar+se – Associação de Apoio a Pessoas com Perturbação Mental Grave, da qual Zé Pedro era padrinho e um dos sócios fundadores.

Zé Pedro, fundador e guitarrista dos Xutos & Pontapés, morreu a 30 de novembro passado, aos 61 anos.

Os Xutos & Pontapés, que integram Tim, Kalú, Gui e João Cabeleira, decidiram continuar ativos e estão a finalizar um novo álbum, intitulado "Duro", ainda sem data de edição.

O SBSR decorre de 19 a 21 de julho no Parque das Nações. O cartaz deste ano inclui artistas e bandas como Travis Scott, The XX, Justice, Slow J, The Vaccines, Benjamin Clementine, Sevdaliza e Julian Casablancas & The Voidz.