O êxito «Stay With Me», de Sam Smith, tem vindo a dominar as ondas da rádio desde o verão do ano passado. Mas a canção é muito parecida com outra, do cantor Tom Petty «I Will not Back Down», lançada há mais de duas décadas, em 1989.

Sam Smith reconheceu o plágio e prontamente resolveu a situação, chegando a acordo com Tom Petty: vai pagar-lhe 12,5% das receitas da canção. 

Nada como espreitar os dois videoclips para comparar:




Quando «Stay With Me» foi lançado, os fãs rapidamente apontaram críticas a Smith, porque a música soava muito ao clássico do final dos anos 80 que, para além de Petty, tem como co-autor Jeff Lynne.

Há um vídeo do YouTube que compara as duas versões:




Embora vá pagar direitos, Smith entende que as semelhanças são uma mera coincidência, segundo o «Mashable». Já Tom Petty não guarda ressentimentos e fez questão de o mostrar, numa mensagem divulgada publicamente:

«Sobre o caso Sam Smith, deixem-me dizer que eu nunca tive quaisquer ressentimentos, em relação a Sam. Todo o meu histórico de composições mostra-me que estas coisas podem acontecer», afirmou, assinalando que os dois «rapidamente» chegaram a um acordo. «Sam fez a coisa certa e eu não pensei mais sobre isso».

Foi, resume, «um acidente musical, nem mais nem menos». Petty deseja «tudo do melhor» para a carreira de Sam Smith. 

Ora, «Stay With Me» está nomeada para seis categorias dos Grammy. Os prémios vão ser anunciados a 8 de fevereiro, mas nem Petty, nem Lynne são candidatos, segundo o vice-presidente da Academia, Bill Freimuth, embora recebam, a partir de agora, receitas pela canção. Poderão, sim, receber «certificados para honrar a sua participação no trabalho», caso o êxito de Sam Smith venha a ser premiado.