O rapper Kanye West interrompeu o concerto na digressão australiana, na semana passada, para pedir que o público se levantasse, mas entre a audiência estavam duas pessoas em cadeira de rodas.

Depois do pedido, West inspecionou a plateia e viu que algumas pessoas não se tinham mexido, e pediu, individualmente, que se colocassem em pé e dirigiu-se a duas pessoas que estavam sentadas sem, alegadamente, se aperceber que eram inválidas.

O pedido para que estas se levantassem gerou polémica e críticas na internet.





Quando se apercebeu do erro, o rapper retificou a gralha e pediu que todos ficassem em pé «a menos que estivessem em cadeira de rodas». Mas o ânimo leve como procurou desfazer o engano não o safou das críticas e manchetes na imprensa internacional como noticia o «Mirror».



A sua mulher, Kim Kardashian, não perdeu tempo em publicar um excerto do concerto na rede social Instagram em defesa do marido.

Citada pelo site «My Way», na publicação a socialite afirma que a digressão australiana foi «maravilhosa».

«É frustrante que algo tão fantástico possa ser distorcido pelas mentiras nos media. O Kanye nunca pediu a ninguém em cadeira de rodas para se levantar e os vídeos do público mostram isso. Ele pediu para toda a gente se levantar e dançar A NÃO SER que estivesse numa cadeira de rodas», escreveu Kardashian.



O cantor também se defendeu. Segundo a mesma fonte, West dirigiu críticas aos media e ao programa «Today Show» de Matt Lauer. «Sou um homem cristão casado e com uma família. Nos meus concertos, quero ter a certeza de que toda a gente se está a divertir o máximo possível. Escolham um novo alvo, porque não sou um desses artistas estúpidos a que vocês estão habituados», disse o cantor.