O Nelson Mandela Music Tribute reuniu 40 mil pessoas em Matosinhos, para celebrar o 100.º aniversário do nascimento do histórico líder sul-africano, anunciou este sábado a organização, indicando que a segunda edição decorrerá em julho de 2019.

Promovido pela Score Music e apoiado pelo Município de Matosinhos e pela Embaixada da África do Sul, o tributo solidário a Nelson Rolihlahla Mandela decorreu durante três dias - entre quarta e sexta-feira - na Praia do Aterro, em Matosinhos, e a segunda edição decorrerá nas mesmas datas, em 18, 19 e 20 de julho.

Sob o mote "Take Action/Inspire Change/Make Every Day/Mandela Day" ("Agir/Inspirar Mudança/Fazer Cada Dia/Dia Mandela", em tradução livre), o evento contou com vários artistas nacionais e internacionais como Steven Tyler, Bob Geldof, Martin Garrix, Rui Veloso, Jimmy P, Kaiser Chiefs, Pablo Alboran, Gabriel O Pensador, KURA, Calema, Youssou N'Dour, o Soweto Gospel Choir e Pablo Milanés, entre outros.

A receita desta homenagem musical a Mandela será entregue a instituições sociais, de acordo com a organização, cujo promotor, Telmo Fernandes, indicou que houve “muitas reações positivas do público, artistas e de todos os que participaram neste projeto.

Acrescenta, em comunicado, estarem "reunidas as condições para avançar com a segunda edição, que continuará a contar com uma forte componente solidária”.

No recinto do Nelson Mandela Music Tribute, o público contou ainda com algumas experiências que recriaram a vida de Mandela e os seus 'hobbies' durante os anos em que esteve preso, como o boxe, tendo sido um praticante desta modalidade e um estudioso da ciência dos seus movimentos.

A organização recorda ainda que a agricultura, através da plantação de uma horta, foi um dos seus principais escapes dentro dos muros da prisão em Robben Island, e a costura como meio de tornar mais quente e confortável o uniforme prisional, bem como o jogo de damas com outros companheiros de prisão.

O ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela, morreu em 05 de dezembro de 2013, aos 95 anos, depois de uma vida dedicada à luta contra a discriminação racial e contra as injustiças sobre a população negra.