Portuguesa Cláudia Costa brilha no «The Voice» francês

Fadista de 25 anos convenceu o júri com a interpretação de «Canção do Mar»

Por: Redação / CM    |   8 de Março às 19:56
A fadista portuguesa Cláudia Costa convenceu o júri do programa televisivo «The Voice», em França, com a interpretação de «Canção do Mar», clássico de Frederico de Brito e Ferrer Trindade, passando assim a fazer parte do concurso de talentos.

A fadista de 25 anos está em França desde os oito e cedo se encantou pela música. Aos 16 anos deixou-se seduzir pelo fado que canta em vários espetáculos, em digressões pela comunidade portuguesa em França.

«Já tinha sido solicitada para a primeira edição do 'The Voice', [mas] não foi possível [participar], e agora convidaram-me novamente para esta terceira edição, e achei interessante mostrar Portugal, o fado e as nossas raízes, numa emissão como o 'The Voice', em França», disse a fadista à agência Lusa.

Cantar em português na fase de audições do programa foi «uma aposta muito ousada» para Cláudia Costa.

«Não sabia se eles [o júri] iam pensar que eu só sabia falar português e não sabia fazer outra coisa», confessou.

A portuguesa tem como objetivo levar o fado além da secção «músicas do mundo» e misturá-lo «com outras sonoridades», para que «cada vez mais pessoas comecem a conhecer fado».

«Há muitas pessoas que não conheciam o fado», assegurou a fadista.

Cláudia Costa foi escolhida pelo jurado Mika, o cantor britânico de origem libanesa, criador de «Grace Kelly», que imediatamente reconheceu que a artista estaria a cantar em português.

Depois das fases de audição e de «batalhas» de talentos (frente a frente entre concorrentes), que fazem parte do programa, a cantora continua no 'The Voice' do canal TF1, com o desejo de vir a fazer parte dos selecionados para a fase de participação nas galas em direto.

A «Canção do Mar», composta por Frederico de Brito e Ferrer Trindade, foi cantada por Amália Rodrigues, no filme «Os Amantes do Tejo», de Henri Verneuil, datado de 1955, sob o título «Solidão».

Cerca de 40 anos mais tarde, a canção, interpretada por Dulce Pontes, seria escolhida para a banda sonora de «A Raiz do Medo», de Gregory Hoblit, e para «Atlantis: O Continente Perdido», da Disney.

A série televisiva «Southland», das Produções John Wells, da Warner Brothers, usou, como genérico, uma versão instrumental da «Canção do Mar».



PUB
Partilhar
EM BAIXO: Cláudia Costa
Cláudia Costa

COMENTÁRIOS

PUB
Subvenções: Isabel Moreira pode pedir inconstitucionalidade

Deputada socialista admitiu suscitar inconstitucionalidade da suspensão de subvenções vitalícias, depois da polémica causada pela aprovação ter levado PSD e PS a retirarem a proposta. A suspensão das subvenções para o ex-políticos vai continuar em vigor, pelo menos, até que haja um pedido de fiscalização e uma eventual decisão constitucional. Vieira da Silva lembra que o PS não precisou de um «salto mortal» como o PSD para retirar a propostta, mas sublinha que não admite um novo recuo