Sir Elton John, qual pontualidade britânica, subiu ao palco do Marés Vivas, em Gaia, dois minutos antes da hora prevista e, durante mais de duas horas, animou o público com êxitos como “Your Song” e “Candle in the wind”.

O cantor, compositor e pianista britânico, de 69 anos, admitiu na quinta-feira à noite nunca ter estado em Vila Nova de Gaia e Porto, mas achou as cidades “incrivelmente bonitas”.

“É a primeira vez que estou a atuar nesta cidade. Agradeço-vos pela receção e entusiasmo”, disse o músico.

A conquista do Campeonato Europeu de Futebol de 2016 pela seleção nacional foi lembrada por Elton John que, munido de uma bandeira de Portugal, que manteve junto a si durante todo o concerto, levou miúdos e graúdos ao delírio.

Sentado ao piano, Elton John foi-se levantando de vez em quando para saudar as cerca de 30.000 pessoas presentes no recinto junto à Praia do Cabedelo.

Com a chegada de `hits´ mais conhecidos, o público vibrou e entoou letras de músicas como “Sacrifice”, “I'm Still Standing” ou “Rocket Men”.

Entre a multidão, José Fernandes, do Porto, admirou a “incrível vitalidade” do artista inglês.

“Devia fazer parte da vida de cada um ouvir, pelo menos uma vez, o Elton John ao vivo”, disse à Lusa.

Com passe para os três dias do festival, Rita Pacheco, de Gondomar, confidenciou que ansiava por ver Elton John, elogiando o facto de ter aumentado o tempo de atuação de uma para duas horas.

As milhares de pessoas continuaram ainda mais participativas com a energia da banda portuguesa D.A.M.A., mantendo o público fiel ao seu espetáculo.

Com os temas “Balada do Desajeitado”, “Às vezes”, “Luísa”, “Tempo pra quê”, “Agora é Tarde”, “Não dá” e “Não Faço Questão” levaram a multidão ao delírio.

Em jeito de celebração da vitória da seleção de Portugal, a banda portuguesa levou os “festivaleiros”, que considerou serem os melhores, a encher os pulmões e aclamar a conquista com as palavras de ordem “Portugal Allez” e “Somos Campeões”.

Em constante interação com o público, os D.A.M.A, ao contrário do que dizem as suas músicas, fizeram questão de tirar uma `selfie´ geral e ainda tiveram tempo de cantar o Hino Nacional.

A noite do Marés Vivas abriu com o cantor e compositor irlandês Foy Vance, seguindo-se a cantora norte-americana Kelis já com público fiel.

“Vim para ver a Kelis porque me faz lembrar o tempo em que andava no secundário e correspondeu às expetativas”, afirmou Paulo Pereira, de Vila Nova de Gaia.

A 14.ª edição do Meo Marés Vivas decorre até dia 16 de julho com nomes como James Bay, Jimmy P, Kodaline, Lost Frequencies, James, Rui Veloso, Tom Odell, Dengaz e Beth Orton.