O tenor e maestro espanhol Plácido Domingo e o banqueiro Nuno Amado foram condecorados pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, estas exta-feira.

De acordo com informação da Presidência da República, Plácido Domingo, de 77 anos, foi distinguido com a Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública pelo "papel como presidente da Europa Nostra, particularmente relevante neste Ano Europeu do Património Cultural".

A condecoração é justificada ainda pelo trabalho do maestro na "formação de jovens gerações, de que a Operalia, a decorrer em Portugal, é um magnífico exemplo".

Plácido Domingo está por estes dias em Portugal por causa da Operalia, o concurso internacional de canto lírico que acontece pela primeira vez em Lisboa, no Teatro Nacional de São Carlos.

O espetáculo da final do concurso - na qual está o tenor português Luís Gomes - acontecerá no domingo com a participação da Orquestra Sinfónica Portuguesa, dirigida por Plácido Domingo.

Já em 1998, Placido Domingo recebeu do então Presidente da República, Jorge Sampaio, a Grâ-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

Também esta sexta-feira, o presidente executivo do banco Millenium BCP, Nuno Amado, foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito, pelo "apoio à obra mecenática no domínio da cultura e do património cultural" e pela "intervenção no processo de recuperação daquela instituição bancária".