Os One Direction vão separar-se em março do próximo ano para seguirem carreiras a solo, adianta o tabloide britânico The Sun, nesta segunda-feira.

Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson e Niall Horan, os quatros membros restantes da banda, após a saída de Zayn Malik há cinco meses, querem "pelo menos" um ano para trabalharem nos seus projetos pessoais, segundo uma fonte da banda citada pelo Sun.
 

“Os rapazes estão juntos há cinco anos, o que é um marco incrível para qualquer ‘boys band’. Eles merecem ter pelo menos um ano para trabalharem nos seus próprios projetos. Não há qualquer mal-estar e eles estão 100% certos da decisão. Não é uma separação definitiva e eles tencionam voltar a juntar-se no futuro.”


Um futuro sem prazo a que se junta outra certeza, a de que os One Direction não vão fazer digressão do quinto álbum, o que significa que o último concerto poderá ser a 31 de outubro, em Inglaterra, no Sheffield’s Motorpoint Arena.
 
De acordo com a fonte citada pelo tabloide, esta era uma decisão que estava em cima da mesa “com ou sem” Zayn Malik, que deixou a banda em março passado.
 
“Claro que eles preferiam que ele tivesse continuado, mas iriam sempre fazer esta longa pausa mesmo que ele não tivesse saído”, disse.
 
A separação e a decisão de não fazerem digressão terá sido estabelecida num encontro no fim de semana, em Londres.
 
Segundo a fonte citada, todos os membros da banda, incluindo o elemento que saiu, têm já planos delineados para o futuro, que não passam apenas pela música, caso do alegado interesse de Hollywood em Harry Styles.