O Festival Marés Vivas, em Vila Nova de Gaia, que se realiza de sexta-feira a domingo, tem nova localização, o dobro da capacidade, mais palcos, espaços verdes e nomes como Jamiroquai, David Guetta, Kodaline e Rita Ora em cartaz.

Na sua 12.ª edição, o festival vai estrear o novo recinto, situado na antiga Seca do Bacalhau, a 600 metros do anterior e com capacidade para acolher 40 mil pessoas por dia, o dobro das edições anteriores.

Em declarações hoje à Lusa, o diretor da PEV Entertainment, Jorge Lopes, responsável pela organização do evento, contou que o festival mantém a sua identidade conjugando mar e rio e tem, no futuro, condições para crescer.

“O espaço vai respirar melhor, vai permitir mais animação e atividades”, referiu.

Na primeira noite, o palco tem como figura principal a banda britânica de funk e acid jazz Jamiroquai, formada em 1992 e liderada pelo cantor Jay Kay, que vendeu já mais de 26 milhões de álbuns em todo o mundo.

Com mais de sete álbuns atingindo o Top 10 do Reino Unido, a banda vencedora de um Grammy em 1997 retém o recorde guinness "Book of World Records" para o álbum de funk mais vendido de todos os tempos.

Além de Jamiroquai, a banda de rock dos Estados Unidos da América, formada em 1986, Goo Goo Dolls, e os portugueses Richie Campbell e Manel Cruz compõem o resto da noite.

No sábado, o destaque vai para o DJ francês David Guetta que vai apresentar o seu novo álbum, o seu sétimo de originais.

O produtor de música já vendeu mais de três milhões de álbuns e 15 milhões de singles, no mundo.

A noite contará ainda com a atuação da banda indie irlandesa Kodaline, que já passou pelo festival, e pelos portugueses The Black Mamba e Carolina Deslandes.

A encerrar o último dia do Marés Vivas vai estar a cantora pop britânica Rita Ora com o seu último single “Anywhere”, lançado em outubro de 2017.

O palco principal receberá ainda a cantora de soul Joss Stone, que regressa quatro anos depois, a estreia da cantora e compositora nova-iorquina Laura Pergolizzi e os DAMA.

Os ingressos diários custam 35 euros e o passe dos três dias é de 65 euros, não sendo permitida a entrada a menores de seis anos.

Este ano, a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) promove uma operação especial de apoio ao Marés Vivas, efetuando um serviço contínuo com a linha 902 às Areias de Cabedelo, assegurando a ida e o regresso durante toda a noite e madrugada com “elevada frequência”, referiu em comunicado.

Os autocarros irão passar com intervalos de 20 minutos nas viagens de ida (entre as 15:30 e as 22:30) e nas viagens de regresso (entre as 22:30 e as 05:00).

em cartaz.

Na sua 12.ª edição, o festival vai estrear o novo recinto, situado na antiga Seca do Bacalhau, a 600 metros do anterior e com capacidade para acolher 40 mil pessoas por dia, o dobro das edições anteriores.

Em declarações hoje à Lusa, o diretor da PEV Entertainment, Jorge Lopes, responsável pela organização do evento, contou que o festival mantém a sua identidade conjugando mar e rio e tem, no futuro, condições para crescer.

O espaço vai respirar melhor, vai permitir mais animação e atividades”, referiu.

Na primeira noite, o palco tem como figura principal a banda britânica de funk e acid jazz Jamiroquai, formada em 1992 e liderada pelo cantor Jay Kay, que vendeu já mais de 26 milhões de álbuns em todo o mundo.

Com mais de sete álbuns atingindo o Top 10 do Reino Unido, a banda vencedora de um Grammy em 1997 retém o recorde guinness "Book of World Records" para o álbum de funk mais vendido de todos os tempos.

Além de Jamiroquai, a banda de rock dos Estados Unidos da América, formada em 1986, Goo Goo Dolls, e os portugueses Richie Campbell e Manel Cruz compõem o resto da noite.

No sábado, o destaque vai para o DJ francês David Guetta que vai apresentar o seu novo álbum, o seu sétimo de originais.

O produtor de música já vendeu mais de três milhões de álbuns e 15 milhões de singles, no mundo.

A noite contará ainda com a atuação da banda indie irlandesa Kodaline, que já passou pelo festival, e pelos portugueses The Black Mamba e Carolina Deslandes.

A encerrar o último dia do Marés Vivas vai estar a cantora pop britânica Rita Ora com o seu último single “Anywhere”, lançado em outubro de 2017.

O palco principal receberá ainda a cantora de soul Joss Stone, que regressa quatro anos depois, a estreia da cantora e compositora nova-iorquina Laura Pergolizzi e os DAMA.

Os ingressos diários custam 35 euros e o passe dos três dias é de 65 euros, não sendo permitida a entrada a menores de seis anos.

Este ano, a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) promove uma operação especial de apoio ao Marés Vivas, efetuando um serviço contínuo com a linha 902 às Areias de Cabedelo, assegurando a ida e o regresso durante toda a noite e madrugada com “elevada frequência”, referiu em comunicado.

Os autocarros irão passar com intervalos de 20 minutos nas viagens de ida (entre as 15:30 e as 22:30) e nas viagens de regresso (entre as 22:30 e as 05:00).