A fadista Raquel Tavares, distinguida em 2006 com o Prémio Amália Rodrigues Revelação, actua dia 17 de Março, no Festival Transeuropeennes, no Espace Aragon, em Oissel, França.

Acompanhada à guitarra portuguesa por Bernardo Couto, à viola de fado por Nélson Aleixo e à viola baixo por Fernando Araújo, a fadista irá interpretar essencialmente temas do seu mais recente álbum «Bairro».

«Bairro», produzido pelo músico Diogo Clemente, foi editado em Maio passado e inclui, entre outros, fados dos repertórios de Lucília do Carmo e Maria da Fé, além de inéditos.

«No espectáculo vou tentar recriar o ambiente das casa de fado dos bairros, será um concerto de fado, não uma peça de teatro, mas os complementos cénicos, mais uma vez, para aí remeterão», disse a fadista à Lusa.

Raquel Tavares assume-se como «bairrista» e é o que quer apresentar em palco «para que não haja diferenças entre o que foi gravado e que se canta ao vivo», sublinhou.

«Este CD foi feito à minha semelhança, reflectindo de onde venho, que é de um bairro», observou.

A criadora de «Quando acordas» (D. Clemente/Armando Machado) voltará a França, dia 24 de Abril, para actuar em Perpignan e no dia seguinte em Serignan.

Raquel Tavares, 24 anos, venceu a Grande Noite do Fado de Lisboa em 1997, foi em 2005 «atracção nacional» da revista «Arre Potter que é demais», no Teatro Maria Vitória, em Lisboa, e em 2006 editou o seu primeiro álbum.