Jamie Cullum: «Escrever canções é assustador»

Músico inglês falou sobre o processo de composição de um novo álbum a lançar no próximo ano. E disse que gosta de ir dançar ao Bairro Alto

Por:
/ Manuel Lino (imagem) e Luís Silva (edição de imagem)    |   25 de Outubro de 2011 às 16:38
Com cinco álbuns editados desde 1999, Jamie Cullum prepara actualmente o seu próximo disco de estúdio. O músico inglês esteve em Portugal no final de Julho, encerrando o Cool Jazz Fest, e revelou que escrever novas canções não é uma tarefa nada fácil.

«O processo passa por eu estar no meu escritório, em casa, a bater com a cabeça na parede, desesperado, a beber montes de chá - um pouco de whisky - e a pensar que devia começar a fumar», contou Cullum em entrevista ao IOL Música.

«Simplesmente sinto que não consigo escrever. E depois acabo por fazê-lo. É uma coisa neurótica. Eu romantizo o processo quando não o estou a fazer, mas quando chega essa parte é sempre assustador», acrescentou.

Ciente que passam agora dois anos desde a edição de «The Pursuit», Jamie deseja lançar o sexto álbum já no início do próximo ano.

«Desta vez estou a tentar escrever canções enquanto ando em digressão e isso torna as coisas ainda mais difíceis! Mas tem de ser assim porque actualmente a indústria musical mudou tanto que eu não acho que nos dias de hoje consegues justificar andares em digressão durante dois anos e levares outros três anos a gravar um disco. Hoje em dia tens de fazer isso tudo ao mesmo tempo», explicou o músico.

Jamie Cullum avançou que trabalhará no seu novo disco «até ao final do Outono», apontando o início de 2012 como meta para o lançamento do álbum.

«O disco sai no próximo ano, na Primavera. Tenho de estabelecer um prazo, senão nunca mais acabo o disco», afirmou, revelando já ter dez novas canções.

Aos 32 anos, o cantor e pianista foi pai pela primeira vez - uma experiência que poderá influenciar a escrita das novas canções.

«Ser pai é óptimo. É óptimo preocupares-te com algo mais do que contigo próprio. Para mim, isso faz sentir-me verdadeiramente livre. E estar casado também me faz sentir assim. Para além disso, numa visão mais prática das coisas, passas a ter menos tempo por isso tens de concentrar melhor no trabalho.»

Quase certo será o regresso ao nosso país assim que o novo disco partir para a estrada. Afinal de contas, Jamie Cullum até já tem lugares preferidos em Portugal.

«Eu gosto mesmo muito de Lisboa como cidade. No Bairro Alto há boas lojas de discos, lugares óptimos para ficar até tarde e para ir dançar. É mesmo o meu tipo de lugar.»
Partilhar
FOTOGALERIA:
Jamie Cullum no Cool Jazz Fest

Jamie Cullum no Cool Jazz Fest (foto: Manuel Lino) EM CIMA: Jamie Cullum no Cool Jazz Fest (foto: Manuel Lino)
COMENTÁRIOS

PUB
IRS: volta a dedução das despesas de educação

Até 2017, os contribuintes, com filhos ou não, vão poder optar pelo regime que lhes for mais favorável: o novo regime do imposto, ou outro que, na sua maioria, é o que vigorou até aqui. O Governo recuou e considera as despesas de educação em separado, mas muda a forma de cálculo