Ariana Grande está a lidar com sintomas de stress pós-traumático por causa do ataque após o seu concerto em Manchester, que matou 22 pessoas. Em entrevista à Vogue britânica, a cantora revelou que o ataque que matou 22 pessoas a deixou com traumas que fazem com que não saiba como lidar com o que aconteceu.

"É difícil falar sobre o que aconteceu porque muita pessoas sofreram perdas severas. Mas, sim, é uma coisa real. Eu conhecia aquelas famílias e fãs, e todas aquelas pessoas viveram uma grande parte disso", afirmou a cantora na entrevista.

A artista, que recentemente fez uma tatuagem para homenagear as vítimas do ataque, diz ainda que apenas o tempo ajudará quem sofreu o ataque a lidar com a situação.

"O tempo é a melhor coisa. Sinto que não devia, sequer, de mencionar a minha experiência - que não devia dizer rigorosamente nada. Penso que nunca saberei como falar sobre Manchester sem chorar", acrescentou.

A 22 de maio de 2017, Ariana Grande tinha acabado o concerto quando um bombista suicida se fez explodir na Arena de Manchester, matando 22 pessoas e ferindo 59. O alerta foi dado pelas 22:33, tendo as autoridades recebido 240 queixas relativas à explosão que causou um grande estrondo nas redondezas da sala de espetáculos.