Lloyd Cole inicia esta semana uma digressão por Portugal, que se estenderá por sete localidades no norte e centro do país, com o álbum «Standards», editado no ano passado.

Na quarta-feira o músico inglês apresenta-se no Theatro Circo de Braga, na quinta-feira, feriado, estará no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, e na sexta-feira na Academia de Música de Espinho.

Ainda nesta cidade, no sábado atua no Casino, no domingo desce até às Caldas da Rainha, no dia 9 estará no Casino de Troia, no dia 10 na Figueira da Foz e, finalmente, no dia 11 de maio no Cine Teatro Avenida de Castelo Branco.

Apesar de ter gravado o álbum «Standards» com banda, Lloyd Cole decidiu interpretar as canções novas - e o repertório antigo - sozinho em palco.

No ano passado, em entrevista à agência Lusa, Lloyd Cole contou que «Standards» é um álbum mais elétrico que os anteriores, com o qual tentou não pensar muito na idade: «Nos últimos anos tenho estado preocupado com o que é apropriado para um homem da minha idade.»

Foi por isso que disse que este álbum foi feito, em parte, por culpa de Bob Dylan: «Ele não sabe que tem 72 anos, não se preocupa com o que é apropriado. Ele não tenta ser mais do que ele é aos 72 anos. É o que eu quero fazer. O meu sonho é chegar ao ponto, na minha carreira, em que isso faça sentido.»

Lloyd Cole, atualmente com 53 anos, estudou na Universidade de Glasgow, onde conheceu os músicos com quem formaria os The Commotions, que se estrearam em 1984 com o álbum «Rattlesnakes».

«Nos anos 80 fazíamos discos e o dinheiro que fazíamos usávamos para fazer concertos, para vender esses mesmos discos. Agora, os discos não fazem dinheiro suficiente e os concertos é que ajudam a pagá-los», comparou.

Os The Commotions terminaram em 1989, depois de terem editado mais dois álbuns, e Lloyd Cole seguiu um caminho a solo.

Coincidindo agora com a digressão portuguesa, Lloyd Cole selecionou 15 canções para uma compilação, intitulada «Fiftysomething», que foi disponibilizada com a edição de maio da revista Blitz.

Entre as 15 canções de «Fiftysomething» há cinco gravadas ao vivo em 2009; cinco registadas com o Small Ensemble em 2010 e uma raridade, «Claire Fontaine».