A vida sexual de Mick Jagger continua a dar que falar. Uma biografia sobre o vocalista dos Rolling Stones dá conta de um caso amoroso com David Bowie, há 40 anos, revelando que eram «sexualmente obcecados um pelo outro», noticia o «Daily News».

A descoberta faz parte de «Mick - the Wild Life and Mad Genius of Jagger», livro biográfico assinado por Christopher Andersen, colecionador de escândalos noutras obras do mesmo género sobre Madonna, Michael Jackson, Jacqueline Kennedy e princesa Diana.

Segundo revela o livro, tudo terá começado em 1973, numa visita de bastidores que começou num grande abraço, quando Jagger era já uma estrela e Bowie, quatro anos mais novo, despontava no horizonte, escreve o «Daily News». Nesta altura, David Bowie triunfava em palco com roupas de nylon e pinturas corporais na pele de Ziggy - «The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars», o disco-sensação desse ano.

Passados alguns meses após o encontro nos bastidores do concerto de David Bowie, este e o seu produtor Ken Scott terão sido convidados para um concerto dos Rolling Stones, escreve o jornal «Daily News» no seu site, citando o livro. Um convite com direito a pagamento de quarto de hotel, para onde Mick Jagger terá enviado um ramo de rosas e champanhe acompanhados por uma mensagem: «Love, Mick».

A bissexualidade de David Bowie, que mantinha um relacionamento com Scott, era assumida. A Mick Jagger eram-lhe reconhecidas as loucuras, as inúmeras namoradas e a droga.

«Mick estava muito consciente que tinha de fazer o que fosse preciso para continuar popular escaldante. David era a coisa mais escaldante que havia na altura», diz Leee Black Childers, antigo presidente da MainMan, citado no livro.

A revelação deste caso amoroso - e escaldante - está exposta em vários excertos do livro.

Ava Cherry, uma cantora de backup, que viveu algum tempo com os Bowie, terá confessado a um amigo que Mick e David eram obcecados um pelo outro. «Mesmo estando eu na cama com eles, muitas vezes, acabei por vê-los a fazer sexo».

Segundo o autor do livro, a relação terá começado a perder força quando a então mulher de David Bowie, Angie, com quem mantinha uma relação aberta, se deparou com os amantes a dormir, todos nus, na cama do casal.

Chegada a casa, terá sido avisada por uma empregada da existência de alguém no quarto. E, aberta a porta, pôde confirmá-lo.

A relação de Angie com David começara em 1970, tendo resultado num casamento um ano depois, quando ambos se iniciavam nos vinte anos. Sobre ela, David Bowie escreveu na altura «The Prettiest Star» e «Golden Years». Verdadeira fonte de inspiração, rumores dão conta que o tema «Angie», hit de Mick Jagger em 1973, é-lhe dedicado. O amor entre galácticos pode ter destas coisas.