"Não sei bem ainda quais são as músicas que comunicam mais com o público. Há umas mais óbvias, mas o disco é denso e precisa de tempo para se entrar nele", disse.






"Para a indústria isso não conta, mas para um músico sim, saber que uma pessoa se identificou com uma música. A vida não é só números e contas, as pessoas não são números e fico feliz quando recebo essas mensagens. É aí que eu sinto plenitude, quando as músicas dizem alguma coisa a alguém", afirmou.