A cantora norte-americana Miley Cyrus atua no domingo no Meo Arena, em Lisboa, a próxima paragem da digressão com o álbum «Bangerz», e o regresso acontece quatro anos depois de se ter estreado para o público português.

Em 2010, a cantora, então com 17 anos, atuou pela primeira vez em Portugal no festival Rock in Rio Lisboa e, na altura, já se estava a despedir da personagem Hanna Montana, que a tinha dado a conhecer através do canal televisivo Disney.

Na altura, Miley Cyrus foi considerada uma das pessoas influentes do mundo pela revista Time, sobretudo pelo impacto que tinha junto do público infantil e adolescente, na televisão, na música e no cinema.

A rutura com o passado - e com essa ideia da menina da pop norte-americana - deu-se no ano passado, com a edição do álbum «Bangerz», mas sobretudo com a mudança radical de imagem e de atitude pública, mais provocadora e sexual, rementendo para segundo plano as capacidades vocais e artísticas.

O disco novo - que inclui os temas «We can't stop» e «Wrecking ball», já vendeu mais de um milhão de exemplares, que atestam a popularidade da cantora, apesar das polémicas e de toda a atenção mediática pelos comportamentos mais desbragados em palco.

Na sexta-feira a cantora atuou em Barcelona e o espetáculo, que deverá ser replicado em Lisboa, incluiu uma vasta «pirotecnia musical» muitos efeitos visuais, peluches gigantes e marionetas, como descreveu a agência espanhola Efe.

«Comer dinheiro, refrescar as fãs com água lançada pela sua própria boca e levar um vestido feito de notas verdes» foram algumas das «excentricidades» de Miley Cyrus, «puro espetáculo», descreveu a agência noticiosa.

Na digressão, a cantora de 21 anos tem incluído versões de temas de outros artistas e em Barcelona interpretou Beatles, The Smiths, Coldplay, Dolly Parton e Lana del Rey.