Brendan Ekstrom, guitarrista da banda norte-americana Circa Survive, saiu do palco, durante um concerto, para ajudar uma espectadora, que o artista pensava estar a ser vítima de assédio sexual.

Mais tarde, no Twitter, o músico explicou que, em 20 anos de concertos, nunca tinha deixado uma canção a meio, mas que o que viu do palco era “perturbador”.

Durante uma canção, vi um tipo atrás de uma rapariga, a tentar beijá-la. Era difícil perceber o que realmente se estava a passar. Às vezes, ela parecia não se importar, mas depois de a ver a empurrar a cara do tipo pela segunda vez, pedi ao segurança que fosse ver o que se passava”, escreveu Brendan na rede social.

O guitarrista tentou apontar para o local onde estavam a rapariga e o rapaz, mas o segurança não conseguiu perceber. Portanto, Brendan Ekstrom decidiu descer do palco e foi ele lá.

Ele não percebia para onde é que eu estava a apontar e aquilo continuava a acontecer. Saí do palco e fui ter com eles. O segurança foi atrás de mim. O rapaz ficou estupefacto, como se nada se tivesse passado. Não sei o que aconteceu depois. Voltei para o palco para acabar o concerto. O segurança tratou do resto”.

O músico dos Circa Survive não voltou a ver os dois espectadores.

Não os voltei a ver depois disso. Se calhar eram namorados, se calhar não eram. Em todo o caso, o que eu vi do palco perturbou-me. Não foi giro. Foi alarmante. Tenho quase 40 anos e namoriscar não é assim. Se calhar é por estar mais velho ou por ter uma filha (que penso assim)”.

Brendan Ekstrom pediu desculpa aos restantes elementos da banda por ter abandonado o palco, mas explica que ficou “furioso ao ver uma rapariga a ter de afastar as mãos de outra pessoa do seu corpo, várias vezes”.

Peço desculpa à minha banda por não comunicar o que se estava a passar, deixando-os sozinhos e confusos em palco, e aos fãs, que também ficaram confusos”.

Vários utilizadores do Twitter elogiaram a atitude do guitarrista dos Circa Survive, uma banda de rock de Filadélfia, nos Estados Unidos.