"Todo ouvidos", já se sabe que não será propriamente a caraterística mais conhecida do presidente norte-americano. E aparentemente, após pouco mais de 24 horas em Paris, a música - pelo menos a francesa - também não será propriamente a que mais lhe agrada. Mesmo que se trate de canções atuais, do duo de música eletrónica francês Daft Punk.

Trump foi o convidado especial de Macron no dia nacional de França, que assinala a tomada da prisão da Bastilha, em 1789, início da histórica Revolução Francesa.

Numa receção, prometida e anunciada, como sendo "à grande e à francesa", Donald Trump fez questão de agradecer, através da habitual rede Twitter, a hospitalidade de Macron e as conversações que tiveram sobre comércio, segurança e assuntos militares. Que aparentemente terão sido música para os seus ouvidos.

Já de volta aos Estados Unidos, Donald Trump lembrou que também gostou da parada militar. E fê-lo saber, pelo canal habitual.

Daft Punk à moda da filarmónica

Na tribuna, o momento e surpresa do dia, para gáudio de muitos, foi a atuação de uma banda musical das Forças Armadas francesas. Em vez das habituais marchas militares, interpretou uma miscelânea de temas dos Daft Punk: "One More Time," "Digital Love," "Get Lucky" e "Harder Better Faster Stronger". Com coreografia a propósito.

As canções "orelhudas" do duo francês de música house, eletrónica - composto por Thomas Bangalter e por Guy-Manuel de Homem-Christo, este com ascendência portuguesa - conseguiram animar a plateia, como se pode comprovar pelo vídeo divulgado pelo jornal britânico The Guardian. Senhoras bateram palmas, altas esferas militares francesas também, Macron sorriu e abanou ligeiramente a cabeça e Trump ficou... com cara de Trump.