O novo álbum da fadista Cristina Nóbrega, que regista o concerto que realizou em agosto do ano passado em Lisboa, no largo de S. Carlos, é apresentado no dia 17, quando chega ao mercado, no Museu do Fado.

O concerto fez parte da programação "Lisboa na Rua" e do alinhamento fazem parte temas como "A saudade não existe", "My days", "Volta e meia", e recria temas como "Duas lágrimas de orvalho", que Carlos do Carmo gravou, ou do repertório de Amália Rodrigues "Madrigada de Alfama", "Malmequer pequenino", "Barco Negro", "Havemos de ir a Viana" e "Ai esta pena de mim", entre outros.

O álbum intitula-se "Cristina Nóbrega ao vivo no" Chiado" e é constituído por 17 temas, entre eles "Lisboa antiga" e uma introdução que reproduz sons de Lisboa de outrora como os emitidos pelos amoladores, e os pregões das varinas ou dos cauteleiros.

A fadista, distinguida com o Prémio Amália Revelação em 2009, é acompanhada pelos músicos Luís Ribeiro e Rodolfo Godinho na guitarra portuguesa, João Bengala na viola, João Penedo, no contrabaixo, Victor Zamora no piano, Moisés Fernandes, no trompete e Luis Pedro Ribeiro, no "cajón".

Fernando Gomes é responsável pela pós-produção do CD, que é apresentado no dia 17 às 19:00, no Museu do Fado, pelo jornalista e escritor Luís Osório.

Para Cristina Nóbrega este "é o disco das emoções plenas" no seu "local de eleição em Lisboa".

A fadista estreou-se em setembro de 2008 no Círculo de Bellas Artes em Madrid. Nesse mesmo ano editou o seu primeiro álbum, "Palavras do meu fado".

Em 2010 recebeu o Prémio Interpretação da Sociedade Portuguesa de Autores, totalizando já cinco álbuns e um DVD editados. Este último, uma homenagem ao compositor José Luís Tinoco, num concerto realizado nos claustros do mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa.

Segundo a sua produtora Cristina Nóbrega conta um repertório de 35 temas originais e um dueto gravado, em 2013, com a cantora cubana Omara Portuondo.