O mais recente álbum da cantora Mariza, “Mundo”, está nomeado para os Grammy Latinos na categoria de “Melhor álbum pop contemporâneo em Língua Portuguesa”, foi divulgado esta quarta-feira.

“Mundo”, produzido pelo espanhol Javier Limón, que produziu anteriormente o álbum “Terra” (2008), foi editado em outubro do ano passado, e marcou o regresso de Mariza a estúdio, cinco anos depois de “Fado tradicional”.

Em declarações à Lusa, em outubro, Mariza afirmou que “Mundo” é “um convite” para o público conhecer melhor o seu universo, o seu mundo, aquilo que é, e como evoluiu e se transformou.

Veja o concerto de Mariza nos estúdios da TVI24

“Este CD surge como um convite às pessoas para visitarem o meu mundo, no que me tornei agora, passados 15 anos [do primeiro CD], até este álbum, o que sou, naquilo que me transformei, como eu vejo agora a música, aquilo que sinto e o que é para mim”, disse a criadora de “Ó gente da minha terra”.

“Mundo” tem composições de Mário Pacheco, Rui Veloso, Tiago Machado, Jorge Fernando e Paulo de Carvalho, músicos que colaboraram com Mariza em álbuns anteriores, e poemas, entre outros, de Rosa Lobato de Faria, Cabral do Nascimento e Paulo Abreu Lima.

A intérprete, que pela primeira vez grava em espanhol, recupera um tema argentino, “Caprichosa”, de autoria de Froilán Aguilar, e canta, de Javier Limón, “Alma”, e gravou ainda dois temas do repertório de Amália Rodrigues, “Anda o sol na minha rua” e “Maldição”.

Com o álbum de Mariza competem "Tropix", de Céu, "Troco likes", de Tiago Iorc, "Território conquistado", de Larissa Luz, e "Leve embora", de Thiago Ramil.

Marco Rodrigues nomeado na categoria de "Melhor Álbum de Música Folclórica"

O álbum de Marco Rodrigues está nomeado na categoria de "Melhor Álbum de Música Folclórica", na qual compete com "En las Islas Canarias", do Grupo Mapeyé, "Gira", de Los Huayra, "En armonías colombianas", de Palo Cruza´O, e "Primavera", de Nahuel Pennisi.

"Fados do fado" foi produzido por Diogo Clemente – que já trabalhou, por exemplo, com Mariza ou Raquel Tavares-, e é uma homenagem aos homens do fado – aos que cantaram o fado, sim, mas também aos que o compuseram e aos letristas que deram a palavra ao fado, explicou o fadista à Lusa.

A música portuguesa, e em particular o fado, atravessa um bom momento, com uma maior projeção internacional”, disse à Lusa Marco Rodrigues, que se afirmou “muito contente” por esta nomeação que é “mais uma homenagem ao fado”.

“Ai se os meus olhos falassem”, “Trigueirinha”, “Vendaval” ou “A Rosinha dos limões”, são alguns dos clássicos popularizados por Tristão da Silva, Max ou Tony de Matos, entre outros, que Marco Rodrigues recriou neste CD editado em julho do ano passado.

Marco Rodrigues venceu a Grande Noite do Fado em 1999, e recebeu o Prémio Revelação Amália Rodrigues em 2007.

Em declarações à Lusa, Marco Rodrigues afirmou que, "depois de ter gravado três discos de originais", entendeu que "era altura de homenagear o legado de alguns homens, e, principalmente os homens, até porque as mulheres tiveram neste género um maior protagonismo".

Para o fadista, este CD visa "reavivar a memória de uns e dar conhecer a outros temas excelentes, que fazem parte do enorme legado patrimonial fadista".

Os vencedores serão conhecidos no dia 17 de novembro próximo, numa cerimónia a realizar na Mobile Arena, em Las Vegas, nos Estados Unidos.