A cantora brasileira Maria Bethânia, a celebrar 50 anos de carreira, atua em maio em Portugal, onde apresenta o espetáculo «Abraçar e agradecer», foi anunciado esta segunda-feira.

A intérprete de «Jeito estúpido de te amar» atua no dia 24 de maio no Coliseu do Porto e, no dia 27, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, apresentando o espetáculo celebrativo do seu cinquentenário artístico, que conta com a direção e cenografia de Bia Lessa, diretora dos seus mais recentes espetáculos «Carta de amor», «Amor festa» e «Devoção e dentro do mar tem rio».

«Maria Bethânia irá cantar músicas de todos os tempos e outras, compostas especialmente para ela nesta comemoração dos seus 50 anos de carreira, por Paulo César Pinheiro, Dorival Caymmi e Chico Cesar, que serão apresentadas pela primeira vez», afirma em comunicado a promotora portuguesa dos espetáculos.

Segundo a mesma fonte, Maria Bethânia, de 68 anos, que em junho receberá o Prémio da Música Brasileira e edita um novo livro, irá ler textos de Wally Salomão, Clarice Lispector e Carmem Oliveira, e «apresentar compositores novos e uma versão inédita [de uma canção] feita especialmente para si por Nelson Motta».

Do alinhamento, entre outras, farão parte as canções do seu mais recente disco «Meus Quintais», como «Dindi», «Xavante», «Casa de Caboclo», e «Uma Iara», adianta a mesma fonte.

Nos palcos portugueses, o desenho de luz é assinado por Binho Schaefer e a coordenação e produção musical é de Guto Graça Mello, produtor responsável por álbuns da artista como «Ciclo» (1983) e «As Canções que você fez p’ra mim» (1993).

Este espetáculo, atualmente em digressão pelos palcos brasileiros, foi estreado em fevereiro passado, no Rio de Janeiro.

A cantora é acompanhada pelos músicos Jorge Helder (maestro e contrabaixo), João Carlos Coutinho (piano e acordeão), Paulo Dafilim (violas e violão), Pedro Franco (violão, bandolim e guitarra), Marcio Mallard (violoncelo), Pantico Rocha (bateria) e Marcelo Costa (percussão).

Maria Bethânia estrou-se em 1965, no Teatro Opinião, em Copacabana, no Rio de Janeiro, num concerto em que partilhou o palco com Zé Keti e João do Vale.