Um concerto em dia de natal, mas sem o espírito natalício, é o que promete esta sexta-feira o músico português Paulo Furtado, The Legendary Tigerman, na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa.

O concerto, que já é uma tradição no calendário do músico, há muito que está esgotado, pelo que foram agendados dois outros, na sexta-feira e no sábado, também eles a esgotar.

O músico estará acompanhado por Paulo Segadães, na bateria, e João Cabrita, no saxofone. Está prevista ainda a participação de João Doce (Wraygunn), Afonso Rodrigues (Sean Riley & the Slowriders e Keep Razors Sharp), Rai (Keep Razors Sharp e The Poppers) e Filipe Costa (Sean Riley & the Slowriders).

Paulo Furtado mantém uma tradição que dura desde 1999: atuar no dia 25 de dezembro, na ZDB, em Lisboa, mas, em vez de mensagens de harmonia e paz no melhor espírito natalício, o músico propõe blues-rock para quem não quer ficar em casa a cumprir a quadra de natal.

O primeiro concerto na ZDB, a 25 de dezembro de 1999, coincidiu com o tempo em que Paulo Furtado lançava o altergo The Legendary Tigerman. O primeiro álbum, "Naked blues", só saiu em 2002 e, um ano depois, editou "Fuck Christmas, I got the blues".

Mais de dez anos depois, The Legendary Tigerman tem seis álbuns editados - o mais recente chama-se "True" e um calendário preenchido de concertos.

Recentemente compôs a música do filme "Ornamento e Crime", de Rodrigo Areias, em parceria com Rita Redshoes, participou na peça "O animador", de John Osborne, e assinou a direção musical do espetáculo "Baile", de Sara Carinhas e Carla Maciel.