A líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, aceitou «com prazer» o convite para conversar lançado pela cantora pop norte-americana Madonna durante uma entrevista num canal de televisão francês.

«Aceito com prazer o convite de Madonna. Aprecio pessoas que fazem propostas de boa-fé», afirmou, em declarações à agência francesa AFP, a líder da Frente Nacional.

Na segunda-feira, durante um programa no canal de televisão privado francês Canal +, Madonna afirmou que gostaria de conversar com Marine Le Pen.
 

«Gostava de me sentar e beber uma bebida com ela. Quero saber de onde vem e ouvir da sua boca aquilo em que ela acredita. Talvez não tenha entendido Marine Le Pen. Não tenho a certeza. Não quero começar uma guerra. Quero paz no mundo».


Madonna, cujo novo álbum «Rebel Heart» é editado no próximo dia 10 de março, utilizou na sua última digressão, em 2012, um vídeo em que Marine Le Pen surgia com uma suástica na testa.

Nesse ano, durante um concerto na reconhecida sala parisiense Olympia, a cantora pop não mostrou a polémica montagem, mas prestou uma homenagem à tolerância em França. Le Pen chegou ameaçar avançar com uma ação judicial contra a cantora norte-americana.

Mais recentemente, Madonna manifestou preocupação perante a progressão da Frente Nacional junto do eleitorado francês, depois da força política de extrema-direita ter vencido as eleições europeias em maio de 2014. Na semana passada, a cantora chegou a qualificar a força partidária de Marine Le Pen como «fascista».

Durante o programa do Canal+, Madonna conheceu e abraçou um dos cartoonistas que sobreviveu ao ataque contra o jornal satírico francês «Charlie Hebdo» no passado dia 7 de janeiro.