Já se imaginou a pagar mais de 2 milhões de euros por um carro sem sequer o ver? Não? Pois bem, foi assim que a Ferrari vendeu os 200 LaFerrari Aperta produzidos ainda antes de divulgar o seu preço e de o mostrar.

É desta forma que a Ferrari vende as suas edições especiais limitadíssimas e gere a enorme procura pelos seus modelos. O Director de Marketing e Comercial da Ferrari, Enrico Galliera, explicou à publicação “Drive” que a marca olha para estas edições especiais como uma espécie de presente para os seus melhores clientes.

“Temos muito mais procura do que oferta. Por isso aquilo que fazemos é premiar os bons clientes. Os carros de edição limitada são considerados um presente para os nossos melhores clientes”, realçou.

Para o responsável, a parte mais difícil é explicar a potenciais compradores que eles não podem ter um determinado modelo da marca. “No início recebíamos pedidos de pessoas que não mereciam ter uma Ferrari, apesar de terem dinheiro”, explicou, antes de acrescentar que a pressão que alguns clientes fazem é “extrema”.

A expansão da marca para outros mercados, como o asiático e particularmente o chinês, tem criado longas listas de espera. Os compradores chegam a ter de esperar até três anos para receberem os carros. Tanto que modelos “normais” como os 488 GTB, California T e GTC4 Lusso, encomendados em 2016, só serão entregues em 2018.