A McLaren veio nesta quarta-feira desmentir a notícia de que estivesse a negociar com a Apple «qualquer investimento» no grupo automóvel.

«Podemos confirmar que a McLaren não está em conversações com a Apple no que respeita a qualquer potencial investimento», afirmou um porta voz da empresa automóvel à «Autosport».

Os responsáveis da McLaren fizeram, porém, questão de deixar claro que negar o investimento da Apple não significa negar que as duas companhias tenham outro tipo de relação: «A natureza da nossa marca significa que temos regularmente reuniões confidenciais com um vasto leque de outras partes. Mas mantemo-las confidenciais.»

O «Financial Times» noticiava também nesta quarta-feira  que a Apple está em negociações com a McLaren e que os cenários analisados vão desde um investimento estratégico até à compra da totalidade da empresa britânica.

A aproximação entre as duas empresas poderia acelerar o projeto automóvel da tecnológica, o muito aguardado «Apple Car», na medida em que a McLaren tem competências em áreas como fibra de carbono ou alumínio.

A McLaren produziu no ano passado cerca de 1.600 carros, um negócio que gerou receitas de cerca de 520 milhões de euros. Já a McLaren Technology, a empresa-mãe, apresentou prejuízos antes de impostos de 26,3 milhões de euros.

Fala-se que o próximo P1, superdesportivo híbrido de 916cv, poderá ser cem por cento elétrico.

[artigo atualizado às 21:50]